Parabéns iPhone! Foi há 10 anos que a Apple reinventou o telefone

Quando a 29 de junho de 2007 ouvimos Steve Job dizer “Apple reinvents the phone”, estávamos longe de saber como viria a influenciar não só a forma como comunicamos, mas também como ouvimos música, tiramos (e partilhamos) fotografias e nos relacionamos uns com os outros.

No 10.º aniversário do telefone que viria a revolucionar o que até então entendíamos por telemóvel e no momento em que a Apple lança o seu mais recente modelo, o iPhone X, relembramos os momentos mais altos desta década. Uma década que começou sem 3G, vídeo ou aplicações… Ainda se lembra?

Parece que sempre foi assim, mas em 2007, o primeiro iPhone não tinha vídeo, 3G, aplicações ou câmara frontal. Mas tinha 128 megas de memória e na versão de topo, oito gigas de armazenamento. De relembrar que o modelo mais recente, o iPhone 7, tem vídeo 4K, câmara de 12 megapíxeis, e 256 gigas de capacidade…

Após a versão inaugural, não foi preciso esperar muito para as primeiras inovações. O modelo de 2008, lançado a 11 de julho, já tinha vídeo, aplicações, 3G e uma espécie de GPS, chamado de Geotargetting. Em 2009, o iPhone 3G S, trazia aquele que seria o antepassado da Siri, o Voice Vontrol. No entanto, ainda se desconhecia as vantagens que uma câmara frontal traria. As fotos, faziam-se com câmara traseira de três megapíxeis.

No ano seguinte, em 2011, surgiu com o iPhone 4 a tão desejada câmara frontal que viria definitivamente a cunhar um termo no dicionário global: a selfie! Apenas um ano depois, o iPhone 4S incorporava inovações que viriam para ficar como o vídeo em alta definição, a Siri ou a ligação à Cloud que, de repente, colocou a cabeça de toda a gente nas nuvens… Só que afinal era só uma nova forma de armazenamento. Quanto ao telefone, já tinha uma memória de 512 megas.

Menos de 12 meses depois, surgia o iPhone 5. Chegou com um novo carregador, com 4G e uma câmara frontal de 1.2 megapíxeis que rivalizavam com os oito megapíxeis traseiros. No ano seguinte, a Apple optou por manter-se na versão 5, embora com os modelos C e S. Em ambos, ouvia-se pela primeira vez falar de Touch ID Fingersprint, Dual Flash ou vídeo em slow motion.

O dia 19 de setembro de 2014 marcou novo lançamento em dose dupla, desta vez foi a vez do iPhone 6 e 6 Plus, com Retina HD Display e Optical Image Stabilization. Seguiram-se os modelos 6S e 6S Plus (2015), os primeiros com 4G, com vídeo 4K e câmara frontal de cinco megapíxeis. Importantes inovações que lhe garantiram 13 milhões de vendas só no primeiro fim-de-semana!

O modelo seguinte foi o “iPhone SE, o telefone de 4 polegadas mais avançado de sempre”, garantia a marca. Incluía o avançado processador A9, o mesmo do iPhone 6s, tinha uma câmara de 12 megapíxeis, que captava fotografias e vídeos em 4K, enfim “um iPhone que parece pequeno, mas tem tudo para ser grande”. Mas o que os fãs estavam mesmo à espera era do iPhone 7, que chegou a 21 de março de 2016. Neste aparelho a Apple conseguiu o melhor desempenho e autonomia até então: altifalantes estéreo, o ecrã mais brilhante e com mais cores de sempre, além de ser resistente à água.

E finalmente, a 12 de setembro de 2017, o mundo conheceu o tão esperado iPhone X!

Relembre os cinco momentos de viragem do iPhone:

  1. GPS: alterou totalmente a forma como nos movimentamos, pondo definitivamente um ponto final nos mapas de estradas.
  2. Selfies: Nunca aparecemos tanto nas fotografias (principalmente quando somos nós a tirá-las!)
  3. Google: Com a internet à distância de um clique, acabaram-se as discussões sem fim. Agora para tirar uma teima, basta ir ao Google.
  4. Adeus botões: Com apenas dois dedos (às vezes até com um), consegue-se aumentar, diminuir, procurar, escrever, ligar, desligar, pôr música e fotografar (entre muitas outras possibilidades).
  5. Aplicações: Basta dizer que em 2017 existem dois milhões de aplicações que se traduzem em 19,2 mil milhões de euros.
Categorias
Tecnologia
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço